Transplante de Pâncres-Rim
 
 
 
 
Perguntas e Respostas Sobre Pâncreas-Rim
 

 

O que é o pâncreas e por que ele é transplantado?

O pâncreas é um órgão situado no interior do abdómen, perto do estômago. Ele secreta o suco pancreático que auxilia o organismo a digerir os alimentos que comemos. Também secreta hormônios no sangue. Um destes hormônios é a insulina. Pequenos aglomerados de células no interior do pâncreas chamadas ilhotas produzem insulina. Quando estas células são danificadas, elas não produzem insulina e a falta de insulina causa diabetes. Ao transplantar um novo pâncreas em um paciente diabético, também transplantamos as ilhotas. Isso fornece uma nova fonte de insulina, o que significa que os pacientes já não precisam de injeções de insulina.


O transplante de pâncreas é adequado para todos os diabéticos?

Não. Apenas os pacientes diabéticos tipo 1. Estes pacientes são geralmente os que se tornam diabéticos quando jovens e que não produzem nenhuma insulina. Diabéticos tipo 2 que ainda produzem insulina, mas desenvolvem resistência a ela não se beneficiam do transplante. O diabetes tipo 2 esta frequentemente ligado a obesidade sendo o tipo mais comum de diabetes.

É um procedimento simples?

O pâncreas normalmente é transplantado ao mesmo tempo com o rim. É um procedimento mais complicado do que um transplante de rim e leva muito mais tempo para se realizar. A operação envolve conectar a fonte de sangue do pâncreas aos vasos que levam sangue para a  perna (vasos ilíacos), geralmente do lado direito. Além de conectar os vasos sanguíneos deve-se juntar uma parte ao intestino para escorrer os sucos digestivos que o novo pâncreas produz. Tudo isso é feito através de uma incisão no abdômen.

Preciso tomar outros medicamentos depois?

Sim. Como todos os transplantes você precisa tomar medicamentos chamados imunossupressores. O que você não vai mais precisar utilizar é a insulina.

Há algum risco?

Como todas as operações de transplante, há o potencial para problemas. No caso dos transplantes de pâncreas estes problemas incluem a rejeição do pâncreas, a coagulação do fornecimento de sangue (trombose) e inflamação do pâncreas (pancreatite). Rejeição acontece em cerca de um terço dos transplantes de pâncreas e os problemas de coagulação de sangue em cerca de 5 em 100 transplantes. Estamos sempre monitorando estes problemas e será feito tratamento para evitá-los ou mesmo tratá-los precocemente. É certo dizer que os problemas nos primeiros dias são mais comuns se você tiver um rim e pâncreas do que se você só tem um rim. No entanto, você será avaliado cuidadosamente para certificar-se que está apto o suficiente para suportar os procedimentos antes que seu nome seja colocado em lista de espera.

Quais são os benefícios de um transplante de pâncreas?

Assim como não mais precisar de injeções de insulina  você não vai precisar se preocupar com exames de sangue freqüentes de açúcar ou de dietas de diabético. O maior benefício é que após um transplante de pâncreas a dose de insulina é controlada automaticamente fazendo com que a maioria dos danos que o diabetes produz não mais ocorra. Este problemas incluem alterações visuais (retinopatia), alterações nos vasos (problemas de circulação) dentre outros. Em alguns casos, esses problemas podem melhorar, embora, geralmente, leve vários anos para se ver alguma melhora. Isso inclui problemas com danos nos nervos e doenças cardíacas.

Quais os resultados do transplante ?

Um transplante de rim em um paciente diabético é muito bem sucedido, com mais de 85% de função um ano depois, e com uma vida média de 8 a 10 anos. Resultados de um transplante de pâncreas também são bons, com mais de 75% funcionando em um ano e com duração média de oito anos. Devido ao seu sucesso é o tratamento recomendado para pacientes com diabetes tipo I e insuficiência renal nos Estados Unidos. No entanto, ocasionalmente, não é bem sucedido e do pâncreas deve ser removido (10% dos pacientes no primeiro ano).

Quanto tempo vou estar no hospital?

Para um transplante de rim isolado a internação normalmente fica entre 7 a 10 dias. Para um transplante de rim e pâncreas a permanência é mais longa, normalmente 3 a 4 semanas.

É perigoso?

Diabetes é perigoso - ele danifica os rins, os olhos, as artérias e nervos. O transplante de pâncreas é potencialmente perigoso e, portanto, você vai ser rigorosamente cuidado. Ocasionalmente, os pacientes podem morrer após o transplante de pâncreas-rim, assim como eles podem morrer após o transplante de rim sozinho - mas é raro (menos de 5 em cada 100). O que um transplante de pâncreas com sucesso faz é reduzir os danos que o diabetes causa, aumentando as suas chances de estar vivo, a longo prazo (10 anos a partir de agora). Estas chances são melhores se você tem um pâncreas-rim do que apenas um transplante de rim.

O que acontece com meu pâncreas velho?

Nós não mechemos nos seus próprios rins ou pâncreas - eles são deixados sozinhos. Seu pâncreas continua a trabalhar produzindo sucos digestivos.

Preciso continuar com uma dieta?


Você não precisa seguir uma dieta para diabéticos, ou uma dieta renal. Gostaríamos de pedir que você evite ganhar muito peso.

Próximo Passo

Se você é um diabético do tipo 1 ou têm dúvidas sobre o seu tipo de diabetes e deseja fazer uma avaliação. Entre em contato com o nosso serviço por telefone ou agende uma consulta pela internet.