Área do Paciente - Saúde bucal

Os inimigos silenciosos : Doenças Periodontais

As doenças periodontais (DP) são respostas inflamatórias contra infecções causadas por bactérias. Esta resposta inflamatória pode ser inicialmente da gengiva (gengivite), ou envolver a gengiva, as fibras que ligam o dente no osso, e o osso propriamente dito (periodontite). Cada uma destas DP atinge graus variados, de leve a grave, e podem ocorrer em uma região bem localizada, ou atingir toda a extensão dos tecidos ao redor dos dentes.


A gengivite geralmente ocorre quando, por falha na higiene oral, permitimos o acúmulo de bactérias na superfície dos dentes, que formam a placa bacteriana, e esta, por sua vez, elimina uma série de substâncias tóxicas nesta região, gerando então a resposta inflamatória em defesa do organismo. Assim, uma gengiva inflamada se torna avermelhada, inchada, e que sangra ao toque. Este processo pode ser aumentado pelo acúmulo de cálculo salivar (tártaro) sobre os dentes.

Quando a gengivite não é devidamente tratada e controlada, com o tempo esta doença pode evoluir para uma periodontite. Na periodontite, o processo inflamatório é mais intenso, causando a destruição das fibras ou ligamentos periodontais e, por fim, do osso de sustentação do dente. Podemos notar que houve destruição do osso quando, além dos sinais da gengivite, ocorre mobilidade dental. A periodontite pode gerar gosto ruim na boca e mau hálito.


Uma das piores características das DP é que elas são indolores. Somente quando a inflamação é muito intensa, ou em períodos de “baixa resistência”, pode ocorrer dor, inchaço e liberação de pus na região acometida.


Em indivíduos que receberam ou receberão um transplante, no entanto, a presença de DP é muito perigosa. Estas manifestações, tanto inflamatórias quanto infecciosas, são prejudiciais ao organismo do paciente, podendo agravar doenças associadas a doença renal (diabetes, hipertensão, anemia), bem como causar problemas ao órgão transplantado.

O tratamento das DP envolve alguns fatores:

  • melhorar a qualidade da higiene oral (escovação e uso do fio dental);
  • modificar dieta (deve-se reduzir o consumo de açucares e alimentos industrializados entre as refeições);
  • remoção pelo dentista de cálculo salivar e placa bacteriana da superfície dental;
  • consultas periódicas ao dentista para manutenção e reavaliação da saúde bucal.

Não permita que este inimigo silencioso atrapalhe sua saúde. O controle da gengivite e da periodontite inicial é simples de se realizar; as periodontites mais graves exigem maior acompanhamento, mas também poder ser curadas. E você mesmo pode fazer um auto-exame da saúde bucal. Se notar algum sinal de gengivite descrito acima ou presença de tártaro, visite o dentista para orientações e tratamento adequado. Você ganhará não só saúde bucal, mas também melhor qualidade de vida.

Fonte: www.abto.org.br